CAPE


Fruto do amadurecimento da consciência de direitos e, naturalmente, reflexo das mudanças sociais em operação por todo o mundo, surgiu em São Paulo, no início do século XXI, o CAPE – Núcleo de Apoio Pedagógico Especializado.

O artigo 1º da Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU, de 1948, já afirmava: “Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade”. É nesse contexto que, com a participação ativa das próprias pessoas com deficiência, os cidadãos exigem que o Estado assuma seu papel na atenção às pessoas com necessidades educacionais especiais, considerando-as em condição de igualdade a qualquer outra.

Não bastou, entretanto, apenas receber as pessoas com deficiência. Diferentemente do que aconteceu a princípio, hoje o consenso é de que a própria sociedade tem de se transformar, criando condições para que essas pessoas possam usufruir de todos os bens socialmente produzidos.

Inclusão social, portanto, envolve respeito às diferenças e, consequentemente, a criação de condições para que cada um dos cidadãos possa desenvolver todas as suas potencialidades.

É nesse contexto que devemos entender as perspectivas apontadas pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, ao criar no interior da Coordenadoria de Gestão Básica (CGEB) o serviço de Educação Especial, que opera por meio do Núcleo de Apoio Pedagógico Especializado-CAPE.



Endereço: Rua Pensilvânia, 115 Fundos
Brooklin – São Paulo – SP – CEP 04564-000
Fone: 5090-4600 - Fax: 5091-3732
Correio eletrônico: cape@edunet.sp.gov.br